Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Um Dia Marcante Para a Humanidade - 10º aniversário.

Sobre um dia tão trágico como este, há sempre muito a dizer. Mas também há o silêncio de empatia, aquele silêncio em que não são precisas dizer palavras pois estas e os sentimentos são os mesmos entre duas ou mais pessoas. E é assim que me sinto para com os familiares e amigos que viram a vida de alguém inocente e que amavam ser roubada de forma tão atroz.

 

Jamais esquecerei este dia 11 de Setembro. Por muitas razões. É por isso que recupero, hoje, o post que escrevi em 2007 acerca deste dia.

 

 

"Faz hoje 6 anos que aconteceu o ataque terrorista ao World Trade Center. Enquanto for viva, jamais esquecerei o que aconteceu, e este dia em particular.
 
Decorria o ano de 2001, um dos anos mais difíceis da minha vida. Foi o meu ano de estágio, mas estágio à moda antiga com atribuição de turmas, regências, reuniões com as orientadoras na escola, e aulas com os orientadores da universidade. Ainda por cima calhou-me o colega de estágio que não deveria calhar a ninguém.: surfista patrocinado pela universidade, que fez a licenciatura à borliu e à conta dos colegas, que ia dar aulas assistidas com directas em cima e altos bafos a álcool e que pensava que ia fazer o estágio à conta desta tansa. Enganou-se. Esclareci logo que não iria trabalhar com ele pois encostava-se a mim para fazer as coisas.
Conclusão: o meu colega só não foi excluído de estágio porque já era muito ”tarde”.
 
Lembro-me perfeitamente que no dia 11 de Setembro fomos almoçar ao restaurante chinês que havia perto da escola. Sentámo-nos, fizemos os nossos pedidos e, subitamente, começam a mostrar imagens do atentado no telejornal da hora do almoço. Já não conseguimos comer nada de jeito… não tirávamos os olhos da TV, estupefactos com o que estava a acontecer perante os nossos olhos.
Decidimos ir para a escola. Já ninguém conseguiu fazer nada. Nesse dia as aulas já não foram aulas mas conversa. Os miúdos também estavam preocupados com aquilo que lhes estava a chegar aos ouvidos.
Alguém foi buscar uma televisão para a sala dos professores e, quem não tinha aulas ou nos intervalos, estava a assistir ao decorrer dos acontecimentos.
 
Para mim esta situação foi, e ainda é, altamente revoltante. Não compreendo como em nome de uma religião se matem pessoas inocentes.
Espero que o bom senso se instale no coração dos homens e que os deuses, sejam eles quais forem, não permitam que aconteça mais nenhuma tragédia como esta à Humanidade…"

 

O meu desejo profundo, é que o Homem tenha aprendido algo com esta tragédia e se tornado num verdadeiro Ser Humando, e que tenha aprendido a resolver diferendos com não-violência. Mas ainda não estou convencida disto.

Circunstâncias

 

Revi um colega meu. Nas piores circunstâncias, é certo, e onde não esperava. Estivemos os dois a dar aulas na mesma escola ainda no século passado. Ele a fazer estágio e eu a dar aulas de português e inglês.

Fazíamos parte de um grupo bem giro e animado, até um dueto de meninas parvas, começarem a fazer trafulhices e os interesses amorosos começarem a interferir. Nada que me envolvesse a mim ou a ele. Para mim só sobrou uma acta de 20 páginas, uma vez que era a única que tinha “ficado de fora” e, por isso, era imparcial.

 

Foi graças a ele que aprendi a dançar as “danças latinas” e era ele que nos incentivava a não desistir após o fracasso de alguns passos mais difíceis. Ele s o Z.P. e o J., os seus colegas de estágio.

Foram tempos óptimos e de muita cumplicidade e amizade entre todos. Foi uma no espectacular.

 

Hoje voltei a vê-lo em circunstâncias trágicas. Naquela notícia da escola da Moita, em que um aluno se sentiu mal e o INEM demorou meia hora ate chegar. Infelizmente, tarde demais…

 

Cenas de Violência Escolar

                                

 

Infelizmente aconteceu mais uma tragédia numa escola finlandesa. Antes, estes fenómenos dos tiroteios só pareciam acontecer nas escolas da América mas agora parece estar a alastrar-se à Europa, infelizmente.

Surpreende-me, tendo em conta a violência e indisciplina crescentes nas nossas escolas, que ainda nenhum aluno com os neurónios todos queimados se tenha lembrado de fazer o mesmo. E espero que nunca se lembrem.

 

É que muitas escolas portuguesas já não são um porto seguro, um segundo lar para as crianças e jovens.

Existem situações gravíssimas não só de agressões a professores, colegas e auxiliares mas de droga e armas.

 

Há 4 anos atrás estive numa escola onde havia os chamados cursos PIEF. Por acaso eu não dava aulas a essas turmas mas os meus colegas que davam, andavam sempre passados com as porcarias que eles faziam. De vez em quando ia polícia lá à escola por causa deles ou havia grandes combates entre gangs rivais à porta da escola. Muitos destes alunos eram portadores de pulseira electrónicas.

Havia controle e acompanhamento apertado a estes alunos e as porcarias que eles faziam eram sempre abafadas. Por isso é que me surpreendo como é que ainda não sucedeu nenhum tiroteio como parece estar na “moda”.

 

Hoje, aconteceu mais uma cena de má-educação e insolência no meu 4º ano, protagonizada pelo palhaço da turma. E o que é mais engraçado é que o puto é tão feio, que tem mesmo cara de palhaço. Grandes beiçolas, nariz com a ponta em forma de batata. Só lhe falta mesmo os cabelos frisados e coloridos mas isso arranja-se facilmente.

Não faz a ponta de um corno nas minhas aulas, não cumpre o que se lhe pede e só faz o que lhe apetece. Hoje mandei-o calar – está sempre a perturbar a aula e os outros colegas – e começar a trabalhar. Teve a insolência de dizer que não estava a falar, quando é a única coisa que faz nas aulas. Disse-lhe para não ser mal-educado e começar a trabalhar. Sabem o que me disse? “Mal-educado? Mas eu não lhe chamei nomes…!” Bom, escusado será dizer que me saltou a tampa. Respondi-lhe “Ai de ti que te passe uma ideia dessas pela cabeça! E muito menos fazê-la sair cá pra fora! Irias ver o que te acontecia…!” E ele continuou a resmungar e se eu não parasse, ele continuava sempre a responder-me. Já viram a que ponto isto chegou?! Teve sorte que o director estava a dar uma descasca a um puto e eu tinha que me vir embora mas sexta-feira vou relatar mais este incidente ao director. E é a mãe deste aluno psicóloga!!! O puto é completamente psicótico! Socorrooooo!

 

Já que o tema de hoje versa os meandros escolares, termino com uma revelação surpreendente e inesperada: Dumbledore é gay!!!

Como será que ficaram as cabecinhas dos Harry Potterianos?

 

Um Dia Marcante Para a Humanidade

Faz hoje 6 anos que aconteceu o ataque terrorista ao World Trade Center.
Enquanto for viva, jamais esquecerei o que aconteceu, e este dia em particular.
 
Decorria o ano de 2001, um dos anos mais difíceis da minha vida. Foi o meu ano de estágio, mas estágio à moda antiga com atribuição de turmas, regências, reuniões com as orientadoras na escola, e aulas com os orientadores da universidade. Ainda por cima calhou-me o colega de estágio que não deveria calhar a ninguém.: surfista patrocinado pela universidade, que fez a licenciatura à borliu e à conta dos colegas, que ia dar aulas assistidas com directas em cima e altos bafos a álcool e que pensava que ia fazer o estágio à conta desta tansa. Enganou-se. Esclareci logo que não iria trabalhar com ele pois encostava-se a mim para fazer as coisas.
Conclusão: o meu colega só não foi excluído de estágio porque já era muito ”tarde”.
 
Lembro-me perfeitamente que no dia 11 de Setembro fomos almoçar ao restaurante chinês que havia perto da escola. Sentámo-nos, fizemos os nossos pedidos e, subitamente, começam a mostrar imagens do atentado no telejornal da hora do almoço. Já não conseguimos comer nada de jeito… não tirávamos os olhos da TV, estupefactos com o que estava a acontecer perante os nossos olhos.
Decidimos ir para a escola. Já ninguém conseguiu fazer nada. Nesse dia as aulas já não foram aulas mas conversa. Os miúdos também estavam preocupados com aquilo que lhes estava a chegar aos ouvidos.
Alguém foi buscar uma televisão para a sala dos professores e, quem não tinha aulas ou nos intervalos, estava a assistir ao decorrer dos acontecimentos.
 
Para mim esta situação foi, e ainda é, altamente revoltante. Não compreendo como em nome de uma religião se matem pessoas inocentes.
Espero que o bom senso se instale no coração dos homens e que os deuses, sejam eles quais forem, não permitam que aconteça mais nenhuma tragédia como esta à Humanidade…